Vozes da terra

Escritos de 1916 a 1926

Antonio Gramsci

R$ 63,00 Comprar

Vozes da terra
  • autor: Antonio Gramsci
  • tradutores: Rita Coitinho e Carlos Nelson Coutinho
  • apresentação e organização: Marcos Del Roio
  • notas da edição: Rita Coitinho e Marília Gabriella Borges Machado
  • orelha: Giovanni Semeraro
  • capa: Maikon Nery
edição:
coleção:
Escritos Gramscianos
selo:
Boitempo
páginas:
192
formato:
21cm x 16cm x 1cm
peso:
275 Gramas
ano de publicação:
2023
encadernação:
brochura
ISBN:
9786557173275

Vozes da terra, nova obra da coleção Escritos Gramscianos, reúne vinte textos de Antonio Gramsci publicados entre 1916 e 1926. Os artigos abordam, essencialmente, a relação entre o Sul e o Norte da Itália, que vivia, desde o século XIX, com uma disparidade social e econômica: o Norte em situação razoável de industrialização e o Sul estagnado em uma economia agrária com resquícios feudais.

 

Com dezessete dos artigos publicados pela primeira vez em português, o livro traz um retrato da Itália nos anos pré-fascismo, como a relação entre os operários do Norte e os camponeses do Sul: “Nas cartas e nos cadernos vê-se como a questão meridional persistiu no campo de preocupações de Gramsci e como nesses textos ela ganha amplitude e complexidade”, escreve Marcos del Roio na apresentação. A ebulição da política local, os embates entre os partidos de esquerda italianos da época e o fascínio com a revolução que se avistava na Rússia também são temas que perpassam os textos.

 

“Os operários fabris e os camponeses pobres são as duas energias da revolução proletária. Para eles, em particular, o comunismo representa uma necessidade existencial: seu advento significa a vida e a liberdade, enquanto a permanência da propriedade privada significa o perigo iminente do esmagamento, da perda de tudo, até mesmo da vida física. Eles são o elemento irredutível, a continuidade do entusiasmo revolucionário, a férrea vontade de não aceitar compromissos, de prosseguir implacavelmente até as realizações integrais, sem deixar se desmoralizar pelas derrotas parciais e transitórias, sem se iludir em excesso com vitórias fáceis.”

 

Trecho

“A questão meridional só pode ser resolvida pela burguesia transitoriamente, episodicamente, com corrupção ou com espada e fogo. O fascismo exacerbou a situação e elucidou-a em grande parte. A incapacidade de abordar com clareza o problema, em toda a extensão e com todas as possíveis consequências políticas, dificultou a ação da classe operária e contribuiu, em grande parte, para o fracasso da revolução de 1919 e 1920.”